Ame o Seu Trabalho se Você quer Se Livrar Dele

O título deste artigo pode parecer estranho, mas é real.

Lembre-se daquela pessoa que você conhece que vive reclamando do trabalho. Cada dia mais reclamações. Perceba como esta pessoa não consegue deixar o emprego. É um caso do tipo “te odeio mas não te largo”.

É exatamente isso que acontece. Enquanto você estiver insatisfeito no seu trabalho atual, a ponto de não se sentir grato por ele, dificilmente você conseguirá enxergar alternativas para sair dele.

Na maioria dos casos o que acontece é que a pessoa vive pulando de galho em galho, trocando de emprego ou de setor e o problema nunca se resolve.

Tá certo que amar o trabalho que você quer deixar pode até ser exagero, mas é perfeitamente possível se sentir feliz por ter o emprego. Imagine que o emprego que você tem hoje te dá um salário que te permite planejar até financeiramente o seu pedido de demissão.

Eu trabalhei mais de 10 anos procurando o que fazer da vida e reclamando do meu trabalho, até que eu percebi que estava fazendo errado. A causa da insatisfação não era o meu trabalho em si. Era eu que nem me conhecia direito. Eu não tinha nem noção do que eu queria fazer da minha vida.

Quando eu comecei a trabalhar autoconhecimento e que eu entendi o meu momento, foi como se eu virasse uma chave. Eu passei de um “reclamão” que entrava cada vez mais onde eu dizia que não queria entrar, para uma pessoa grata por estar empregado em um lugar que me permitia pensar em como eu ia sair de lá, com a tranquilidade de que eu teria um salário ao final do mês.

Quando eu falo em tranquilidade não significa que eu ficava no trabalho pensando em como eu ia sair de lá. Era depois que eu saia do trabalho e ia para casa que eu planejava a minha saída definitiva de lá.

Sair de onde você está certamente envolve trabalho após as 18 horas. E se você estuda à noite, provavelmente envolve trabalho após as 23 horas e aos finais de semana.

Mas a jornada compensa. Os resultados também.

Enfim, ao invés de reclamar do seu trabalho atual e achar que o problema está nele, comece a se perguntar e a entender a sua parcela de responsabilidade sobre como se sente com o que está fazendo da sua vida.

A sua chave também vai virar e você vai perceber o quanto deve ser grato pelo que tem para conseguir o que realmente quer.

Gostou do artigo? Deixa aí o seu comentário.

* Rafael Recidive é coach e ajuda pessoas a serem felizes no trabalho. Para saber mais e para ler mais artigos como esse, acesse: http://www.rafaelrecidive.com.br

Sobre rafael

Eu ajudo as pessoas a serem felizes no trabalho através do autoconhecimento. Para me conhecer melhor acesse "Quem sou eu" no menu do meu site.

Comentários